terça-feira, 22 de setembro de 2009

September Rain


Uau!

Que chuva foi aquela ontem?!
19h começa a cair o céu. 20h e nada de algum sinal de parar a chuva. Resolvo ir embora mesmo assim.

Vou caminhando tranquilamente para casa, me agarrando ao guarda-chuva como se ele fosse parte de mim.
As ruas desertas, uma ou outra alma encharcada passa por mim. Faço de tudo para evitar as poças, mas 100 m depois já estou ensopada até o joelho, então nao faz mais diferença nenhuma. Sigo andando em linha reta mesmo, ou tentando, já que o vento insistia em carregar meu guarda-chuva, enquanto isso penso que a bota no final nao serviu pra nada. Preciso comprar galochas.

De vez em quando eu parava e olhava para trás. Nada. Ninguém na rua. Nenhum assaltante, sequestrador estuprador se escondendo nos cantos. Aí eu olhava para cima até as gotas embaçarem completamente meus óculos. Então eu os limpava e continuava andando.

Em algum momento eu percebo um clarão. Não sei se foi uma luz de uma casa, um farol de carro ou um relâmpago, já que meus santos fones de ouvido tocavam JET no volume máximo, não
descobri o que era. Outro clarão. Provavelmente está relampejando mesmo. Ainda bem que eu estou de fones de ouvido, pena que não tem nenhuma igreja vazia por perto...

Hora de atravessar aquela rua larga. Paro de um lado da calçada, mas nao consigo enchergar direito o outro lado. Não sei se tem um rio correndo entre a calçada e a rua, se eu vou ter que dar um duplo twist carpado para nao pisar na água. Aí eu olho para os meus pés e vejo que nao adiantaria de nada, minhas meias já estavam fazendo splash-splash a muito tempo.

O sinal fecha e eu atravesso, nada de rios caudalosos nem de duplo twist carpado. Então passo pela rua das árvores, o que significa que a água vai ficando armazenada nas folhas, e que quando caem, as gotas são beem maiores que as originais. De tão gordas, parecem que caem em câmera lenta. O que não faz o menor sentido, já que um desses filósofos gregos que não tinha nada melhor pra fazer percebeu que corpos leves e pesados caiam na mesma velocidade. Várias formigas devem ter morrido afogadas ontem. =/ Não gosto de formigas mesmo.

Chego na minha rua e resolvo comprar uma pepsi. Mas só tinha a twist. Que droga, mas compro assim mesmo. Subo sentindo aquele gosto amargo do limão. Como alguem pode gostar disso? (Grasy?!)

Banho quente, cobertor, barulho da chuva na janela. Pausa para pensar em alguém. Sorriso. Quase dormindo quando lembro que teria prova no dia seguinte. Perco o sorriso. Lembro que a 18 anos niguém fica de recuperação nessa matéria. Acho o sorriso e durmo bem. =)


2 comentários:

Anna Marie Raven disse...

gostei do texto :D
a chuva ontem foi bizarra.. cheguei em casa totalmente encharcada... parecia q tinha acabado de sair do banho xD
mas chuva sempre eh bom (:

e limão eh mtu bom tah *-*

Baba Vivi. disse...

apesar de pepsi twist ser muito boa, só vc pra parar no meio de uma tempestade pra comprar uma! xD

se fosse no China legal eu até entenderia...

enfim, texto legal! \o/
e só pra terminar apanhando, nem tava chovendo tanto quando eu fui embora.
cheguei em casa praticamente seca! lero lero! xP